GLYXAMBI 25MG/5MG COM 30 COMPRIMIDOS

BOEHRINGER INGELHEIM
COMPRAR GLYXAMBI 25MG/5MG COM 30 COMPRIMIDOS
-43%
- +
Comprar

Código do Produto: 34783

Este site é seguro

Voltar Simular frete e prazo de entrega

Calcular frete e prazo de entrega

Digite seu Cep

CALCULAR
carregando fretes ...
Calcular frete e prazo de entrega
Comprar Glyxambi 25mg/5mg com 30 comprimidos com melhor preço e entrega em todo o Brasil. Conheça todas as apresentações de Glyxambi na categoria de Diabetes. Glyxambi comprar com quem tem mais de 40 anos de tradição.
Mais informações sobre o produto

Comprar glyxambi 25mg/5mg com 30 comprimidos com o melhor Preço.

Voltar Descrição

Qual a indicação do Glyxambi 25mg?


Glyxambi é um medicamento da linha de referências, possuindo a empagliflozina e a linagliptina, como seus princípios ativos, com 25mg/5mg em uma embalagem contendo 30 comprimidos, de uso adulto e por via oral, sendo indicado no tratamento para o controle do açúcar no sangue (glicose), com foco na diabetes mellitus tipo 2.
 

Qual o benefício do Glyxambi 25mg?


Sua fórmula composta de duas substâncias combinativas, exerce um papel importante no controle da glicose na corrente sanguínea, aliviando os sintomas da doença, que acometem, na maioria das vezes, o cotidiano do paciente.
 

Composição do Glyxambi


Cada comprimido desta medicação possui 25mg de empagliflozina e 5mg de linagliptina (princípios ativos), além de excipientes, como manitol, amido (pré-gelatinizado e de milho), copovidona, crospovidona, talco, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, óxido de ferro vermelho.
 

Qual a dosagem do Glyxambi 25mg?


Segundo a bula original do fármaco, para uso adulto, a dosagem inicial é de 10mg/5mg, uma vez ao dia à medida que o médico-responsável poderá aumentar a dose diária para 25mg/5mg de Glyxambi. Sua ingestão é por via oral.
 

Como tomar Glyxambi?


Formulado em comprimido rosa-claro, triangular, planos em ambas as faces, com um lado marcado o símbolo da empresa Boehringer Ingelheim e no outro gravado 25/5, Glyxambi deve ser ingerido por via oral, com ou sem alimento.
 

As contraindicações do Glyxambi 25mg


É contraindicado o uso deste remédio por pessoas alérgicas à sua composição (vide substâncias), ou por pacientes que manifestem comprometimento renal grave e que estejam fazendo diálise.
 

Glyxambi na gravidez?


Esta medicação não é recomendada à mulheres grávidas sem orientação médica. Seu uso também é vetado em período de lactação, uma vez que o remédio pode ser excretado no leite materno.
 

Glyxambi 25mg possui efeitos colaterais?


A ingestão deste fármaco pode provocar reações, embora estas não se manifestem em todos os pacientes. Entre elas, estão as reações comuns: hipoglicemia e coceira na pele. Reações incomuns: hipersensibilidade e urticária. Reações de frequência desconhecida: sede e aumento da creatinina no sangue.
 

Leia a bula do Glyxambi


A Drogaria Nova Esperança mantém o compromisso de disponibilizar a bula original do Glyxambi. Trabalhamos para que você receba todas as informações necessárias antes de decidir adquirir o que deseja em nossos departamentos.
 

Preço do Glyxambi


Buscando o menor preço do Glyxambi? Não deixe de aproveitar os melhores valores desse produto, os maiores descontos e a qualidade que só a nossa loja poderá proporcionar a você. Confira.
 

Onde comprar Glyxambi?


Aqui você encontra um eficiente serviço para entrega e total segurança dos seus dados durante a compra. Cadastre-se, aproveite os nossos descontos, parcele e em até 3x sem juros e compre o medicamento Glyxambi de forma mais barata, além de poder receber o produto no conforto da sua casa.
 

Sobre a Boehringer Ingelheim


Companhia farmacêutica de origem alemã, iniciou suas atividades produzindo ácidos em escala industrial. Pouco tempo após sua fundação, em 1885, passou a investir no setor farmacêutico inovando em medicamentos visando melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas. Boehringer Ingelheim chegou no Brasil em 1953 e é uma das principais empresas do ramo farmacêutico do mundo. Seu complexo se localiza no município de Itapecerica da Serra, em São Paulo. Os Produtos Boehringer Ingelheim visam propor o que há de melhor no segmento da saúde, com foco no bem-estar e na qualidade de vida de seus consumidores.
 
Este conteúdo foi extraído manualmente da bula original, sob supervisão técnica da farmacêutica responsável: Dra. Andreia L. A. Bertasso - CRF: 44466. Não utilize este material como substituto ao conselho médico profissional. Esse texto possui apenas fins informativos. Leia a Bula Original.

Glyxambi 25mg


Princípio ativo: Empagliflozina, linagliptina

 

Apresentações do medicamento


Comprimidos revestidos de 25 mg/5 mg: embalagens com 10 ou 30 comprimidos.

USO ORAL
USO ADULTO

 

Composição do Glyxambi 25mg


GLYXAMBI 25 mg/5mg: cada comprimido revestido contém 25 mg de empagliflozina e 5 mg de linagliptina.
Excipientes: manitol, amido (pré-gelatinizado e de milho), copovidona, crospovidona, talco, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol, óxido de ferro vermelho.

 

Para que o Glyxambi 25mg é indicado?


GLYXAMBI é indicado para melhorar o controle da glicose (açúcar) no sangue em adultos com diabetes mellitus tipo 2, associado ao tratamento com metformina, dieta e exercícios físicos. GLYXAMBI pode ser usado como tratamento inicial em pacientes não elegíveis ao tratamento com metformina.

 

Como o Glyxambi 25mg funciona?


GLYXAMBI é um medicamento que possui duas substâncias ativas associadas, a empagliflozina e a linagliptina, as quais atuam juntas e de forma complementar no controle da glicose (açúcar) no sangue. A empagliflozina inibe a reabsorção do excesso de glicose no sangue pelo rim, aumentando a eliminação deste açúcar pela urina, levando também a uma perda de calorias e de peso.

A linagliptina aumenta a produção de insulina, que é o hormônio responsável pela redução de açúcar no sangue, e diminui a produção de glucagon, que é um dos hormônios que aumenta o açúcar no sangue, resultando em uma melhora geral na regulação da glicose (açúcar) no sangue.

 

Quando não devo usar o Glyxambi 25mg?


Não usar GLYXAMBI se você for alérgico à empagliflozina ou à linagliptina ou a quaisquer excipientes da formulação do medicamento. Você também não deve usar GLYXAMBI se tiver comprometimento renal grave (TFGe < 30 mL/min/1,73m2), inclusive se estiver fazendo diálise. A experiência terapêutica de GLYXAMBI em pacientes com comprometimento renal grave é limitada.

 

O que devo saber antes de usar o Glyxambi 25mg?


GLYXAMBI não deve ser utilizado em pacientes com diabetes mellitus tipo 1.
Foram relatados casos de cetoacidose diabética, uma condição grave com risco de vida e com necessidade de hospitalização urgente em pacientes tratados com empagliflozina, incluindo casos fatais.

Em casos de aparecimento de sintomas como náuseas, vômitos, anorexia, dor abdominal, sede excessiva, dificuldade em respirar, confusão, cansaço incomum ou sonolência ao tomar GLYXAMBI, informe imediatamente seu médico, para que o mesmo possa verificar a existência de cetoacidose, independentemente do seu nível de açúcar no sangue. Em caso de cetoacidose, seu médico poderá interromper seu tratamento com GLYXAMBI.

GLYXAMBI deve ser usado com precaução em pacientes que podem estar sob risco maior de cetoacidose enquanto estiverem tomando este medicamento, como aqueles em dieta com restrição de carboidratos, pacientes com doenças agudas, doenças no pâncreas, redução da dose de insulina, consumo excessivo de álcool, desidratação grave e pacientes com histórico de cetoacidose. Seu médico avaliará a necessidade de reduzir a dose de insulina, caso você a utilize. Você poderá ser monitorado por seu médico para o risco de cetoacidose e ter o tratamento com GLYXAMBI interrompido temporariamente caso esteja em situações clínicas que possam levar à cetoacidose (por exemplo, jejum prolongado devido à doença aguda ou cirurgia).

Foram relatados casos pós-comercialização de fasciíte necrosante do períneo (também conhecida como gangrena de Fournier), uma infecção rara, porém grave e com risco de vida, caracterizada por uma necrose tecidual, ou seja, a morte da pele próxima à região genital, glúteo, virilha e ânus, por falta de irrigação sanguínea, em pacientes tratados com empagliflozina (um dos componentes de GLYXAMBI) e outros medicamentos da mesma classe. Esses relatos incluíram casos graves com hospitalização, cirurgias e morte. Você deve procurar seu médico para avaliar seu quadro clínico no caso de dor ou sensibilidade, vermelhidão, inchaço na região ao redor dos órgãos genitais, glúteos, virilha e/ou ânus, febre e mal-estar. Se houver suspeita de gangrena de Fournier, seu médico deve interromper o uso de GLYXAMBI e iniciar o tratamento imediatamente.

Deve-se tomar cuidado quando GLYXAMBI for utilizado em associação com uma sulfonilureia (como glimepirida, glibenclamida, gliclazida) ou insulina, pois estas substâncias são conhecidas por causar hipoglicemia.

Se houver suspeita de pancreatite (inflamação aguda do pâncreas), GLYXAMBI deve ser descontinuado. Seu médico deverá avaliar a continuidade do tratamento com GLYXAMBI caso ocorram algumas condições clínicas agudas que possam causar um comprometimento renal significativo.

Exames da função renal poderão ser solicitados por seu médico antes do início do tratamento com GLYXAMBI e periodicamente durante o tratamento.

Deve-se tomar cuidado quando GLYXAMBI for utilizado em pacientes com doença cardiovascular conhecida, pacientes em terapia anti-hipertensiva com histórico de hipotensão ou pacientes com 75 anos de idade ou mais.

A perda de água e de eletrólitos deve ser monitorada por seu médico, e corrigida por ele, se necessário. Em caso de infecção urinária (infecções graves do trato urinário, incluindo pielonefrite, que é uma infecção nos rins, e urosepse, que é uma infecção generalizada de origem renal), seu médico avaliará a interrupção temporária de GLYXAMBI.

Se houver suspeita de penfigoide bolhoso (bolhas grandes e muito firmes e que demoram muitos dias para se romper), deve-se descontinuar o uso de GLYXAMBI.

A experiência terapêutica em pacientes com 75 anos de idade ou mais é limitada e o início da terapia com GLYXAMBI nesta população não é recomendado.

GLYXAMBI não é recomendado para uso em pacientes com menos de 18 anos de idade.

Gravidez e Amamentação
Os efeitos de GLYXAMBI durante a gestação e lactação são desconhecidos. 
Como medida de precaução, recomenda-se evitar o uso de GLYXAMBI durante a gestação, a menos que seu médico julgue ser claramente necessário.

Recomenda-se descontinuar a amamentação durante o tratamento com GLYXAMBI.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações Medicamentosas


Não foram observadas interações entre empagliflozina e linagliptina, as duas substâncias ativas de GLYXAMBI, em estudos clínicos.  Não foram observadas interações quando empagliflozina ou linagliptina foram administradas com outros medicamentos normalmente utilizados.

Não é necessário nenhum ajuste de dose quando GLYXAMBI é administrado juntamente com medicamentos normalmente prescritos, exceto quando se utiliza insulina, alguns medicamentos para diabetes (como sulfonilureias e alguns diuréticos), indutores e inibidores das enzimas da família das uridinas – UGTs (como ritonavir, fluconazol e ácido valproico) e rifampicina. Não foram estudadas possíveis interações com carbamazepina, fenobarbital e fenitoína.

O monitoramento do controle da glicemia (nível de açúcar no sangue) com teste de 1,5-AG (anidroglucitol) não é recomendado em pacientes em uso de GLYXAMBI. Portanto devem ser utilizados métodos alternativos para monitoramento do controle glicêmico nesses pacientes.

Informe ao seu médico ou cirurgião dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

 

Onde, como e por quanto tempo posso guardar o Glyxambi 25mg?


Mantenha em temperatura ambiente (15 ºC a 30 ºC).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Os comprimidos revestidos de GLYXAMBI 25 mg/5 mg são rosa-claros, triangulares arcados, planos em ambas as faces, com bordas chanfradas. Em um lado está gravado o símbolo da empresa Boehringer Ingelheim e no outro está gravado “25/5”.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

 

Como devo usar o Glyxambi 25mg?


A dose inicial recomendada de GLYXAMBI é 10 mg/5 mg (empagliflozina 10 mg/ linagliptina 5 mg), uma vez ao dia. 
Em pacientes que toleram GLYXAMBI 10 mg/5 mg (empagliflozina 10 mg/ linagliptina 5 mg) uma vez ao dia e que requerem controle glicêmico adicional, seu médico poderá aumentar a dose para GLYXAMBI 25 mg/5 mg (empagliflozina 25 mg/linagliptina 5 mg), uma vez ao dia.

GLYXAMBI pode ser ingerido com ou sem alimento. 

Não é necessário ajuste de dose para pacientes com comprometimento renal com TFGe ≥30mL/min/1,73 m2 ou com comprometimento hepático. Não é necessário ajuste de dose com base na idade, porém o início da terapia com GLYXAMBI não é recomendado em pacientes com 75 anos ou mais, pois a experiência terapêutica é limitada nesta população. 

Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem conhecimento do seu médico.

 

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Glyxambi 25mg?


Continue tomando as próximas doses regularmente no horário habitual. Não duplique a dose na próxima tomada. 
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou de cirurgião-dentista.

 

Quais os males que o uso do Glyxambi 25mg pode me causar?


GLYXAMBI pode causar as seguintes reações adversas que estão classificadas por frequência:

GLYXAMBI 25 mg/5 mg (empagliflozina/linagliptina):
Reações comuns (ocorre entre 1 % e 10 % dos pacientes que utilizam este medicamento):monilíase vaginal (infecção por fungos na vagina), vulvovaginite (infecção na vulva e na vagina), balanite (inflamação ou infecção da glande peniana) e outras infecções genitais, infecção do trato urinário (infecção nos rins, bexiga ou uretra, incluindo pielonefrite, que é uma infecção nos rins, e urosepse, que é uma infecção generalizada de origem renal), nasofaringite (infecção de nariz e faringe), hipoglicemia (redução da quantidade de glicose no sangue para níveis muito baixos, quando usado com sulfonilureia ou insulina), aumento da frequência e volume de urina, tosse, prurido (coceira), lipase aumentada (enzima que pode ser verificada num exame de sangue para diagnosticar alguma alteração no pâncreas) e aumento de um tipo de gordura (lipídeos) no sangue.

Reações incomuns (ocorre entre 0,1 % e 1 % dos pacientes que utilizam este medicamento): hipersensibilidade (reação alérgica), angioedema (inchaço da língua, lábios e garganta), disúria (dificuldade para urinar), erupção cutânea (vermelhidão, descamação e coceira na pele), hipovolemia (diminuição do volume sanguíneo), sede, aumento da creatinina no sangue e taxa de filtração glomerular diminuída (diminuição da filtração realizada pelos rins).

Reações de frequência desconhecida:urticária (placas elevadas na pele, geralmente com coceira), cetoacidose (doença em que o sangue fica repleto de cetonas, que são substâncias que o corpo produz quando utiliza gordura em vez de glicose para obter energia), pancreatite (inflamação do pâncreas), ulceração da boca (aftas), aumento da concentração dos glóbulos vermelhos do sangue (aumento do hematócrito), penfigoide bolhoso (bolhas grandes e muito firmes e que demoram muitos dias para se romper) e fasciíte necrosante do períneo (também conhecida como gangrena de Fournier, que é uma infecção grave na região genital, glúteos, virilha e ânus com lesão na pele).

Atenção: este produto é um medicamento que possui nova associação no país e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

 

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada do Glyxambi 25mg?



No caso de uma superdosagem, o médico tomará as medidas de suporte comuns, por exemplo, remoção de material não absorvido do trato gastrointestinal, monitoramento clínico e medidas clínicas conforme necessário.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

 

Dizeres legais do medicamento


MS 1.0367.0176
Farm. Resp.: Ana Carolina Scandura Cardillo – CRF-SP 22440

Importado por:
Boehringer Ingelheim do Brasil Quím. e Farm. Ltda.
Rod. Régis Bittencourt, km 286
Itapecerica da Serra - SP
CNPJ 60.831.658/0021-10

Fabricado por:
Boehringer Ingelheim Pharma GmbH & Co. KG
Ingelheim am Rhein – Alemanha

Aproveite e Compre também

Os produtos abaixo são relacionados ao produto visitado, aproveite para conhecê-los.

Indisponível
COMPRAR GLYXAMBI 25MG/5MG COM 30 COMPRIMIDOS

GLYXAMBI 25MG/5MG COM 30 COMPRIMIDOS

por apenas R$ 229,00
CADASTRAR
Email cadastrado com sucesso! Erro! Não foi possível realizar o cadastro. Carregando ...
Voltar ao topo

Para o perfeito funcionamento do site é preciso que o JavaScript esteja ativado no navegador.
Para ativá-lo, escolha seu navegador e siga as instruções abaixo:

Google Chrome

  1. Clique no ícone do menu na barra de ferramentas do navegador.
  2. Selecione Configurações.
  3. Clique no link Mostrar configurações avançadas....
  4. Clique em Configurações de conteúdo na seção Privacidade.
  5. Selecione Permitir que todos os sites executem JavaScript na seção JavaScript.

Mozilla Firefox

  1. Selecione Ferramentas no menu superior.
  2. Escolha Opções.
  3. Selecione Conteúdo no menu de navegação superior.
  4. Marque a caixa de seleção ao lado de Ativar JavaScript e clique em OK.

Internet Explorer

  1. Selecione Ferramentas no menu superior.
  2. Escolha Opções da Internet.
  3. Clique na guia Segurança.
  4. Clique em Nível personalizado.
  5. Desça até ver a seção Scripts.
  6. Em "Script ativo", selecione Ativar e clique em OK.

Apple Safari

  1. Abra o menu Safari na barra de ferramentas do navegador.
  2. Escolha Preferências.
  3. Escolha Segurança.
  4. Marque a caixa de seleção ao lado de Ativar JavaScript.
Olá, posso ajudar?
Indicativo de Busca
Televendas 11 3990-7720
Chat Fale agora com nossos atendentes