DIAMOX 250MG COM 25 COMPRIMIDOS

GENOM
de R$ 16,15 por R$ 13,15
ou em até 3x de R$ 4,38
Preço para SP: 13,15
Ver condições de parcelamento
- +

Subtotal: 0,00

Enviar Receita Este site é seguro

Consulte o valor do frete e o prazo de entrega

Simular
carregando fretes ...
  • Principal Indicação

    • DIAMOX é um inibidor enzimático eficaz no controle da secreção de fluidos (certos tipos de glaucoma), tratamento de alguns quadros convulsivos (epilepsia) e diurese em retenção hídrica anormal (edema cardíaco).
  • Ficha Técnica

    • Nome do Produto: DIAMOX 250MG COM 25 COMPRIMIDOS
    • SKU: 3746
    • Código EAN: 7896006245322
    • Registro Ministério da Saúde: 1049702890012
    • Princípio Ativo: ACETAZOLAMIDA
    • Fabricante: GENOM
    • SAC Fabricante: 0800-111-559
    • E-mail Fabricante: GENOM@GENOM.COM.BR
Comprar Diamox 250mg com 25 comprimidos com melhor preço e entrega em todo o Brasil. Conheça todas as apresentações de Diamox na categoria de Cardiológico. Diamox comprar com quem tem mais de 40 anos de tradição.

Código do Produto: 3746

COMPRAR DIAMOX 250MG COM 25 COMPRIMIDOS

Ganhe descontos para compras em quantidade

Pague em até 6x no cartão de crédito

Entregas disponíveis em todo o Brasil

Televendas11 3990-7720

Mais informações sobre o produto:

Comprar diamox 250mg com 25 comprimidos com o melhor Preço.

Este medicamento é destinado ao tratamento adjuvante de edema devido à insuficiência cardíaca congestiva; edema induzido por medicamentos; epilepsias, pequeno mal não especificado, sem crises de grande mal, convulsões não classificadas em outras partes; glaucoma primário de ângulo aberto; glaucoma secundário a outros transtornos do olho e uso pré-operatório em glaucoma primário de ângulo fechado, quando se deseja postergar a cirurgia para reduzir a pressão intraocular. Diamox também é indicado para prevenir e aliviar os sintomas associados à doença aguda das montanhas em alpinistas, devido a subida rápida e naqueles que são muito suscetíveis à doença, apesar da subida gradual.
Diamox

acetazolamida

Comprimido

IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES:

Comprimido 250 mg: caixa com 25 comprimidos.

USO PEDIÁTRICO E ADULTO

COMPOSIÇÃO:

Comprimido

Cada comprimido contém:

acetazolamida ............................................ 250 mg

Excipientes: amidoglicolato de sódio, povidona, fosfato de cálcio dibásico, amido e

estearato de magnésio.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

AÇÃO ESPERADA DO MEDICAMENTO:

DIAMOX é um inibidor enzimático eficaz no controle da secreção de fluidos (certos

tipos de glaucoma), tratamento de alguns quadros convulsivos (epilepsia) e diurese

em retenção hídrica anormal (edema cardíaco).

CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO:

Conserve o produto na embalagem original, em temperatura ambiente (15 a 30ºC).

PRAZO DE VALIDADE:

24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho). Não use medicamentos com o

prazo de validade vencido.

GRAVIDEZ E LACTAÇÃO:

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação

médica ou do cirurgião-dentista. Informe seu médico a ocorrência de gravidez na

vigência do tratamento ou após o seu término. Informe ao médico se está

amamentando.

União Química 2 Diamox

CUIDADOS DE ADMINISTRAÇÃO:

Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a

duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

REAÇÕES ADVERSAS:

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis. DIAMOX é geralmente

bem tolerado.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS

CRIANÇAS.

INGESTÃO CONCOMITANTE COM OUTRAS SUBSTÂNCIAS:

Recomenda-se evitar o uso de álcool durante o tratamento com DIAMOX.

CONTRA-INDICAÇÕES E PRECAUÇÕES:

O produto não deve ser usado por pacientes com hipersensibilidade aos componentes

da fórmula, insuficiência renal ou hepática grave, incluindo cirrose, acidose

hiperclorêmica ou insuficiência supra-renal.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início,

ou durante o tratamento.

Durante o tratamento o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois

sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER

PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS:

DIAMOX, um inibidor da enzima anidrase carbônica, é um pó de coloração branca

amarelada, cristalino, inodoro, ligeiramente ácido, muito pouco solúvel em água e

pouco solúvel em álcool. O nome químico de DIAMOX é N-(5-sulfamoil-1,3,4-tiaidazol-

2il)-acetamida. Seu peso molecular é 222,24. A sua fórmula química é C4H6N4O3S2.

DIAMOX é um potente inibidor da anidrase carbônica, eficaz no controle da secreção

de fluidos (por exemplo, alguns tipos de glaucoma), no tratamento de certas doenças

convulsivas (por exemplo, epilepsia) e na promoção de diurese em situações de

retenção hídrica anormal (por exemplo, edema cardíaco).

União Química 3 Diamox

DIAMOX não é um diurético mercurial. A acetazolamida é uma sulfonamida não

bacteriostática com estrutura química e atividade farmacológica nitidamente diferentes

das sulfonamidas bacteriostáticas.

A acetazolamida é um inibidor enzimático que age especificamente sobre a anidrase

carbônica, a enzima que catalisa a reação reversível envolvendo a hidratação do

dióxido de carbono e a desidratação do ácido carbônico. No olho, esta ação inibitória

da acetazolamida diminui a secreção do humor aquoso, resultando na redução da

pressão intra-ocular, reação considerada desejável em casos de glaucoma e em

algumas condições não-glaucomatosas. As evidências parecem indicar que a

acetazolamida é útil como adjuvante no tratamento de certas disfunções do sistema

nervoso central (por exemplo, epilepsia). A inibição da anidrase carbônica parece

retardar as descargas excessivas, paroxísticas e anormais dos neurônios do sistema

nervoso central. O efeito diurético da acetazolamida é decorrente de sua ação sobre

os rins, na reação reversível envolvendo a hidratação do dióxido de carbono e a

desidratação do ácido carbônico. O resultado é a perda renal do íon HCO3, que

carrega sódio, água e potássio. Dessa forma, obtém-se a alcalinização da urina e a

promoção da diurese. A alteração no metabolismo da amônia deve-se ao aumento da

reabsorção da amônia pelos túbulos renais como conseqüência da alcalinização da

urina.

Estudos clínicos controlados têm demonstrado que a administração profilática de

DIAMOX em uma dose de 250 mg a cada 8 ? 12 horas, antes ou durante a subida

rápida para grandes altitudes resulta em menos ou menores sintomas severos (tais

como dor de cabeça, náusea, dispnéia, tontura, sonolência e fadiga) de doença da

montanha aguda. A função pulmonar (por exemplo, ventilação por minuto, capacidade

de expiração vital e fluxo máximo) foi maior no grupo tratado com DIAMOX, tanto em

pacientes com doença da montanha aguda como em pacientes assintomáticos.

INDICAÇÕES:

Tratamento adjuvante de:

- edema devido à insuficiência cardíaca congestiva;

- edema induzido por medicamentos;

- epilepsias centro-encefálicas (pequeno mal, convulsões não-localizadas);

- glaucoma crônico simples (ângulo aberto), glaucoma secundário e uso préoperatório

em glaucoma de ângulo fechado agudo, quando se deseja postergar a

cirurgia para reduzir a pressão intra-ocular.

União Química 4 Diamox

CONTRA-INDICAÇÕES:

DIAMOX é contra-indicado a pacientes com hipersensibilidade à acetazolamida

ou qualquer excipiente da fórmula. Como a acetazolamida é um derivado da

sulfonamida, é possível ocorrência de sensibilidade cruzada entre

acetazolamida, sulfonamidas e outros derivados da sulfonamida.

DIAMOX é contra-indicado em situações onde os níveis séricos de sódio e/ou

potássio estão deprimidos, em casos de disfunção ou doença renal ou hepática

graves, insuficiência da glândula supra-renal e em acidoses hiperclorêmicas. É

contra-indicado em pacientes com cirrose devido ao risco de desenvolvimento

de encefalopatia hepática.

A administração prolongada de DIAMOX é contra-indicada em pacientes com

glaucoma de ângulo fechado não-congestivo crônico, uma vez que permite o

fechamento orgânico do ângulo enquanto a piora do glaucoma é mascarada pela

diminuição da pressão intra-ocular.

PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS:

Gerais: há casos de óbito devido a reações graves às sulfonamidas e derivados da

sulfonamida, incluindo a acetazolamida. Reações graves podem incluir síndrome de

Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica, necrose hepática fulminante,

agranulocitose, anemia aplástica e outras discrasias sangüíneas e anafilaxia (ver

Reações Adversas). Reações de hipersensibilidade grave (anafiláticca/anafilactóide,

incluindo choque) foram observados em pacientes recebendo acetazolamida. Pode

haver recorrência das reações de hipersensibilidade se uma sulfonamida ou um

derivado da sulfonamida por re-administrado independente da via de administração.

Se ocorrerem sinais de reações de hipersensibilidade ou outras reações sérias, devese

descontinuar o uso de acetazolamida.

Recomenda-se cautela para pacientes recebendo concomitantemente altas doses de

ácido acetilsalicílico e DIAMOX, pois têm sido reportadas anorexia, taquipnéia,

letargia, acidose metabólica, coma e morte.

O aumento da dose não aumenta a diurese, mas pode aumentar a incidência de

sonolência e/ou parestesia. O aumento da dose pode freqüentemente resultar em

diminuição da diurese. Entretanto, sob certas circunstâncias, doses muito elevadas

foram administradas em associação a outros diuréticos para garantir a diurese em

pacientes refratários ao tratamento.

Houve relatos de aumento da fraqueza muscular, ocasionalmente grave, em pacientes

com paralisia periódica hipocalêmica que receberam acetazolamida.

União Química 5 Diamox

Reações adversas comuns a todos os derivados da sulfonamida podem ocorrer:

anafilaxia, febre, rash (incluindo eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson,

necrólise epidérmica tóxica), cristalúria, eritema multiforme, cálculo renal, depressão

da medula óssea, púrpura trombocitopênica, anemia hemolítica, leucopenia,

pancitopenia e agranulocitose. Recomenda-se atenção para a detecção precoce

destas reações e, nesses casos, a droga deve ser descontinuada e terapia apropriada

deve ser instituída.

Para monitorizar as reações hematológicas comuns a todas as sulfonamidas,

recomenda-se a realização de hemograma completo e contagem de plaquetas antes

do início da terapia com a acetazolamida e em intervalos regulares durante o

tratamento. Se ocorrerem alterações significativas, é importante descontinuar o

medicamento o mais rápido possível e instituir o tratamento adequado.

Em pacientes com obstrução pulmonar ou enfisema, onde a ventilação alveolar possa

estar prejudicada, DIAMOX, que pode precipitar ou agravar a acidose, deve ser usado

com cautela.

Recomenda-se subida gradual para tentar evitar a doença da montanha aguda. Se for

feita uma subida rápida e se for usado DIAMOX, deve-se atentar que tal uso não

elimina a necessidade de descer rapidamente se formas severas de doenças

relacionadas à altas altitudes ocorrerem, por exemplo, edema pulmonar ou cerebral.

Algumas reações adversas à acetazolamida, como sonolência, fadiga e miopia, podem

prejudicar a habilidade do pacientes para dirigir ou operara máquinas.

Metabolismo da glicose: há relatos de aumento e diminuição da glicemia em pacientes

tratados com a acetazolamida. Essas alterações devem ser levadas em consideração

em pacientes com intolerância à glicose ou diabetes mellitus.

Equilíbrio ácido/base e eletrolítico: o tratamento com a acetazolamida pode causar

desequilíbrios eletrolíticos, incluindo hiponatremia e hipocalemia, assim como acidose

metabólica. Portanto, recomenda-se a monitorização periódica de eletrólitos séricos.

Recomenda-se cuidado especial em pacientes com condições associadas a, ou que

predispõe os pacientes a desequilíbrios eletrolíticos e ácido/base, como pacientes com

insuficiência renal (incluindo pacientes idosos ? ver Posologia, Contra-Indicações e

Pacientes Idosos), pacientes com diabetes mellitus e pacientes com comprometimento

da ventilação alveolar.

Gravidez: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem

orientação médica ou do cirurgião-dentista. Demonstrou-se que a acetazolamida,

administrada por via oral ou parenteral, é teratogênica (defeitos nos membros) em

camundongos, ratos, hamsters e coelhos, em doses orais ou parenterais acima de 10

vezes as recomendadas para uso em humanos. Não foram realizados estudos

adequados e bem-controlados em mulheres grávidas. A acetazolamida deve ser

utilizada durante a gravidez apenas se o benefício potencial justificar o risco potencial

ao feto.

União Química 6 Diamox

Amamentação: a acetazolamida é excretada no leite materno e há potencial de

reações adversas no lactente. A acetazolamida só deve ser utilizada por lactantes se o

benefício potencial justificar o risco potencial à criança.

Pediatria: a segurança e a eficácia do uso de acetazolamida por crianças ainda não

foram estabelecidas. Em crianças tratadas a longo prazo, relatou-se atraso do

crescimento considerado secundário à acidose crônica.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS:

Antagonistas do ácido fólico: a acetazolamida pode potencializar os efeitos de outros

antagonistas do ácido fólico.

Agentes hipoglicemiantes: há relatos de aumento e diminuição da glicemia em

pacientes tratados com a acetazolamida. Essas alterações devem ser levadas em

consideração em pacientes tratados com agentes antidiabéticos.

Anfetaminas: como a acetazolamida aumenta o pH urinário no túbulo renal, diminui a

excreção urinária da anfetamina e, portanto, pode aumentar o grau e a duração do

efeito das anfetaminas.

Quinidina: como a acetazolamida aumenta o pH urinário no túbulo renal, diminui a

excreção urinária da quinidina e, portanto, pode aumentar o efeito da quinidina.

Compostos metenamina: como a acetazolamida aumenta o pH urinário. Pode impedir

o efeito anti-séptico urinário dos compostos metenamina.

Lítio: a acetazolamida aumenta a excreção do lítio devido ao comprometimento da

reabsorção do lítio no túbulo proximal. Pode haver diminuição do efeito do carbonato

de lítio.

Salicilatos: aconselha-se cautela em pacientes tratados concomitantemente com o

ácido acetilsalicílico e a acetazolamida, uma vez que há relatos de toxicidade grave.

Foi relatada acidose metabólica grave em pacientes com função renal normal durante

o tratamento com a acetazolamida e salicilatos. Estudos de farmacocinética

demonstraram que a taxa de ligação às proteínas plasmáticas e a depuração renal da

acetazolamida foram significativamente reduzidas durante o tratamento crônico com

salicilatos. A acidose sistêmica provocada pela acetazolamida pode aumentar a

toxicidade do salicilato devido ao aumento da penetração tecidual do salicilato.

Fenitoína: quando administrada concomitantemente, a acetazolamida modifica o

metabolismo da fenitoína, resultando em aumento dos níveis séricos da fenitoína. A

acetazolamida pode aumentar ou acentuar a ocorrência de osteomalácia em alguns

pacientes em tratamento crônico com a fenitoína. Aconselha-se cautela em pacientes

em tratamento crônico concomitante com esses medicamentos.

Primidona: como a acetazolamida diminui a absorção gastrintestinal da primidona,

pode diminuir as concentrações séricas da primidona e de seus metabólitos,

consequentemente com possível diminuição do efeito anticonvulsivante. Aconselha-se

cautela ao iniciar, descontinuar ou alterar a dose da acetazolamida em pacientes

tratados com primidona.

União Química 7 Diamox

Bicarbonato de sódio: o uso concomitante de bicarbonato de sódio aumenta o risco de

formação de cálculo renal em pacientes tratados com acetazolamida.

Inibidores da anidrase carbônica: devido aos possíveis efeitos aditivos com outros

inibidores da anidrase carbônica, não se recomenda o uso concomitante desses

medicamentos.

Ciclosporina: quando administrada concomitantemente, a acetazolamida pode

aumentar os níveis sangüíneos da ciclosporina. Recomenda-se cautela ao se

administrar acetazolamida em pacientes tratados com a ciclosporina.

INTERFERÊNCIA EM EXAMES LABORATORIAIS:

As sulfonamidas podem ser responsáveis por valores falso-negativos ou reduzidos de

fenolsulfonoftaleína urinária e valores de eliminação de vermelho fenol para ácido

úrico sérico, ácido úrico não-protéico nitrogenado sérico e protéico urinário. A

acetazolamida pode produzir um aumento do nível de cristais na urina.

A acetazolamida interfere no método HPLC de doseamento da teofilina. Essa

interferência depende do solvente utilizado na extração; a acetazolamida pode não

interferir com outros métodos de doseamento da teofilina.

REAÇÕES ADVERSAS/COLATERAIS:

Organismo como um todo: cefaléia, mal-estar, fadiga, febre, rubor, atraso do

crescimento em crianças, paralisia flácida, reações anafiláticas/anafilactóides

(incluindo choque e óbito).

Digestivo: distúrbios gastrintestinais, como náusea, vômito e diarréia.

Hematológico/linfático: discrasias sangüíneas, como anemia aplástica,

agranulocitose, leucopenia, trombocitopenia e púrpura trombocitopênica.

Desordens hepato-biliares: função hepática anormal, icterícia colestática,

insuficiência hepática, necrose hepática fulminante.

Metabólico/nutricional: acidose metabólica e desequilíbrio eletrolítico, incluindo

hipocalemia, hiponatremia, osteomalácia com tratamento a longo prazo com

fenitoína, perda de apetite, alteração do paladar, hiperglicemia/hipoglicemia.

Nervoso: sonolência, parestesia (incluindo entorpecimento e formigamento das

extremidades e da face), depressão, excitação, ataxia, confusão, convulsões,

tontura.

Pele: reações cutâneas alérgicas, incluindo urticária, fotossensibilidade,

síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica.

Órgãos sensoriais: distúrbios auditivos, tinido, miopia.

Urogenital: cristalúria, aumento do risco de nefrolitíase com terapia prolongada,

hematúria, glicosúria, insuficiência renal, poliúria.

União Química 8 Diamox

POSOLOGIA:

Glaucoma: a acetazolamida é utilizada como adjuvante à terapia usual.

Glaucoma simples crônico (ângulo aberto): 250 mg a 1 g por dia, normalmente em

doses divididas quando a dose diária for maior que 250 mg. Em geral, doses maiores

que 1 g não resultam em efeito maior. A posologia é ajustada com atenção individual

cuidadosa quanto à sintomatologia e tensão ocular. Recomenda-se supervisão médica

contínua.

Glaucoma secundário e tratamento pré-operatório do glaucoma congestivo agudo

(ângulo fechado): a posologia preferida é 250 mg a cada 4 horas. Alguns pacientes

respondem à 250 mg, 2 vezes ao dia, em terapia a curto prazo. Em alguns casos

agudos, dependendo da situação individual, pode ser mais adequado administrar uma

dose inicial de 500 mg, seguida de doses de 125 mg ou 250 mg, a cada 4 horas.

Epilepsia: a dose diária sugerida é de 8 a 30 mg/kg de acetazolamida, em doses

divididas. Embora alguns pacientes respondam a baixas doses, aparentemente o

intervalo de dose diária total ideal varia de 375 mg a 1 g de acetazolamida. Alguns

pesquisadores acreditam que as doses acima de 1 g não resultam em efeitos

melhores do que a dose de 1 g.

Quando a acetazolamida for administrada em associação a outros anticonvulsivantes,

sugere-se que a dose inicial seja de 250 mg de acetazolamida, 1 vez ao dia. Essa

dose pode ser aumentada conforme indicado acima.

A troca de outros medicamentos para acetazolamida deve ser gradativa e seguir a

prática usual no tratamento da epilepsia.

Insuficiência cardíaca congestiva: a dose inicial usual é de 250 mg a 375 mg (5

mg/kg) de acetazolamida, 1 vez por dia, pela manhã. Se após uma resposta inicial, o

paciente não continuar a eliminar o líquido do edema, não se deve aumentar a dose,

mas sim deve-se suspender a administração por um dia, permitindo a recuperação dos

rins. Os resultados da acetazolamida são melhores quando o fármaco é administrado

em dias alternados ou por dois dias alternados com um dia de descanso.

O uso da acetazolamida não dispensa a necessidade de outras terapias.

Edema induzido por medicamentos: a posologia recomendada é de 250 mg a 375

mg (5 mg/kg) de acetazolamida, 1 vez por dia, por um ou dois dias, alternando com

um dia de descanso.

Doença aguda das montanhas: a posologia é de 500 mg a 1 g de acetazolamida por

dia, em doses divididas. Quando a subida for rápida, como em operações militares ou

de resgate, recomenda-se a dose mais elevada de 1 g.

Preferencialmente iniciar a administração 24 a 48 horas antes da subida e continuar

por 38 horas enquanto em altitude elevada ou por período mais prolongado conforme

a necessidade para controlar os sintomas.

União Química 9 Diamox

Uso em pacientes com insuficiência renal: a acetazolamida é contra-indicada em

pacientes com taxa de filtração glomerular (TFG) inferior a 10 ml/min (ver Contra-

Indicações). Em pacientes com insuficiência renal moderada a grave e uma TFG

superior a 10 ml/min, a dose deve ser reduzida pela metade ou o intervalo entre as

doses deve ser aumentado para cada 12 horas.

SUPERDOSAGEM:

Não há antídoto específico conhecido. O tratamento deve ser sintomático e de

suporte. É possível a ocorrência de desequilíbrio eletrolítico, desenvolvimento de

estado acidótico e efeitos sobre o sistema nervoso central. Devem-se monitorizar os

níveis séricos de eletrólitos (particularmente potássio) e o pH sangüíneo. São

necessárias medidas de suporte para restabelecer o equilíbrio eletrolítico e do pH.

Normalmente, é possível corrigir o estado acidótico com a administração de

bicarbonato. Apesar da alta distribuição intra-eritrocitária e das propriedades de

ligação à proteínas plasmáticas, a acetazolamida é dialisável. Esse dado pode ser

particularmente importante no tratamento da superdosagem com a acetazolamida

quando houver complicação por insuficiência renal (ver Posologia e Contra-

Indicações).

PACIENTES IDOSOS:

Não se dispõe de dados específicos em populações idosas. Pode ocorrer acidose

metabólica, que pode ser grave, em idosos com comprometimento da função renal

(ver Posologia, Contra-Indicações e Precauções).

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

N.º do lote, data da fabricação e data da validade: vide cartucho

Registro MS ? 1.0497.0289

Farm. Resp.: Ishii Massayuki

CRF-SP nº 4863

UNIÃO QUÍMICA FARMACÊUTICA NACIONAL S/A

Rua Coronel Luiz Tenório de Brito, 90 ? Embu-Guaçu - SP

CEP 06900-000 SAC 0800 11 1559

CNPJ 60.665.981/0001-18 ? Indústria Brasileira

"ISTO É UM MEDICAMENTO, NÃO USE SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA E ORIENTAÇÃO DO FARMACÊUTICO. AO PERSISTIREM OS SINTOMAS O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO."

Glucerna
Agulhas e Seringas BD
Promoção Centrum
Televendas 11 3990-7720
Chat Fale agora com nossos atendentes
COMPRAR DIAMOX 250MG COM 25 COMPRIMIDOS

DIAMOX 250MG COM 25 COMPRIMIDOS

por apenas R$ 13,15